Blog

Indústria 5.0: Conceito, Oportunidades e Perspectivas para a Indústria Brasileira

Sim, faz pouco mais de dez anos que nós começamos a discutir os efeitos da Indústria 4.0. E hoje já falamos de uma nova mudança, a Indústria 5.0.

É que a Indústria 5.0 é a evolução natural da Indústria 4.0, que ainda domina o mundo das pequenas e médias empresas.

Mas afinal o que é a Indústria 5.0?

O grande diferencial da Indústria 5.0 para as anteriores é a forma como ela trata as pessoas e as insere no meio tecnológico como aliadas e, não, concorrentes. É a era de novas relações entre homens e máquinas.

A tecnologia e a automação continuam cada vez mais eficientes, dinâmicas e otimizando o dia a dia das atividades dentro da organização, mas as pessoas também permanecem nos ambientes de trabalho e, em alguns setores, com novas funções.

A Indústria 5.0 é a extensão de toda a tecnologia e inovação que a Indústria 4.0 trouxe, mas com o toque humano necessário e que falta nos processos automatizados. É a mistura entre a precisão e qualidade da tecnologia com os skills críticos e cognitivos dos profissionais, visando sempre:

  • Qualidade de vida;

  • Inclusão;

  • Sustentabilidade.

Em 2016, a Indústria 5.0 surgiu no Japão através do conceito de Sociedade 5.0, que foi criada com base no decreto 5° Plano Básico de Ciência e Tecnologia, que tem como intuito garantir o bem-estar do ser humano e ter uma sociedade inclusiva e mais inteligente através das ferramentas tecnológicas.

Ferramentas essas que a Indústria 4.0 já traz em sua bagagem, como soluções de Inteligência Artificial, Big Data e Internet das Coisas (IoT).

A indústria 5.0 é a reumanização da corrida pela automação total. É o reconhecimento de que os avanços robóticos, digitais e de automatização, bem como que o questionamento, os insights, a inovação e potencial criativo do ser humano são de igual valor no processo de fabricação.

Quais são as diferenças entre a indústria 5.0 e 4.0

Existem diferenças significativas entre a indústria 5 e 4.0. Você já sabe que a principal delas é como a Indústria 5.0 coloca as pessoas, aliadas à tecnologia, no centro da produção, enquanto a 4.0 enfatizava a automação e a digitalização dos processos.

Outra diferença fundamental é o enfoque dado à sustentabilidade e à resiliência na indústria. Com isso, as empresas têm responsabilidade social e ambiental na busca por soluções e incentivam a capacidade de se adaptar rapidamente a mudanças e desafios.

A indústria 5.0 também possibilita maior personalização em relação à indústria 4.0, levando em conta as necessidades individuais dos consumidores para criar produtos que atendam às demandas individuais de cada clientes.

Por fim, em vez de focar apenas na interconectividade tecnológica, a indústria 5.0 valoriza a colaboração e a interação humana, permitindo que as pessoas trabalhem com suas ideias em sinergia.

Quais são as tecnologias envolvidas no processo da indústria 5.0?  

Apesar da linha tênue entre o potencial cognitivo e o tecnológico, a Indústria 5.0 com certeza depende de uma série de inovações e tecnologias para que dê certo.

Afinal, seus avanços miram o estabelecimento de uma base para que o viés cognitivo humano tenha maiores chances de brilhar.

Para isso, uma série de tecnologias foram criadas ou estão em pleno desenvolvimento, mirando justamente a evolução dos processos operacionais e também estratégicos.

A lista é longa, mas citamos os principais:

  • Biotecnologia;

  • Dark Analytics;

  • Nanotecnologia;

  • Edge Computing;

  • Machine Learning;

  • Manufatura aditiva;

  • Robótica avançada;

  • Business Intelligence;

  • Computação quântica;

  • IOT – Internet of Things;

  • IA – Inteligência Artificial;

  • Cobots – Robôs colaborativos;

Como implementar a indústria 5.0?

Para implementar a Indústria 5.0, é necessário que as empresas façam uma série de mudanças em sua forma de operar. Algumas das principais mudanças incluem:

  1. Foco nas habilidades humanas: Em vez de simplesmente automatizar os processos produtivos, é necessário que as empresas busquem criar soluções que permitam a colaboração entre as pessoas e as máquinas. Isso significa que é necessário que as empresas invistam em treinamento e desenvolvimento para que seus funcionários possam trabalhar em conjunto com as máquinas.

  2. Tecnologia integrada: A Indústria 5.0 também requer uma integração mais profunda entre as tecnologias. Isso significa que é necessário que as empresas criem soluções que permitam a interconexão entre diferentes dispositivos e sistemas para que eles possam trabalhar em conjunto de maneira eficiente.

  3. Produção sustentável: A Indústria 5.0 também tem como objetivo criar soluções que permitam uma produção mais sustentável. Isso significa que as empresas precisam encontrar maneiras de reduzir o desperdício e a pegada de carbono em seus processos produtivos. Isso pode envolver o uso de fontes de energia renováveis, a redução do uso de materiais não renováveis ​​e a implementação de práticas de reciclagem e reutilização.

  4. Flexibilidade: A Indústria 5.0 requer uma maior flexibilidade em termos de produção. Isso significa que as empresas precisam ser capazes de se adaptar rapidamente às mudanças nas demandas do mercado e nas necessidades dos clientes. Isso pode envolver a implementação de sistemas de produção just-in-time, que permitem que as empresas produzam apenas o que é necessário no momento certo.

  5. Cooperação: A Indústria 5.0 também requer uma maior cooperação entre as empresas. Isso significa que as empresas precisam trabalhar juntas para desenvolver soluções que permitam a colaboração entre diferentes setores e áreas de especialização. Isso pode envolver a criação de parcerias estratégicas entre empresas ou a participação em redes de inovação.

Perspectivas sobre a Indústria 5.0 no Brasil

Para compreender como esse conceito se aplica na realidade brasileira, a transição da Indústria 4.0 para a 5.0 e como tem sido a interação entre pessoas e tecnologia no setor, um trabalho coletivo desenvolvido pelos especialistas da AEVO, SENAI-SP e Timenow, resultou no “Report Indústria 5.0: desafios, tecnologias e Inovação Aberta”.

O material é pioneiro no país, pois investiga como o conceito está difundido no setor nacional, traz as perspectivas das Indústrias, de especialistas e das startups, e como elas veem esse movimento em entrevistas exclusivas, análises e uma pesquisa completa.

Além disso, o conteúdo conta com um apanhado de dados sobre o uso de tecnologias impulsionado pelas pessoas no setor industrial e como ele reflete na eficiência operacional e na cadeia de valor da indústria.

Confira todo o material completo, acessando: Report Indústria 5.0: desafios, tecnologias e Inovação Aberta.

Report Indústria 5.0

Impactos da Indústria 5.0 na sociedade

A Indústria 5.0 tem um enorme potencial para mudar o mundo. Tende a tornar o processo de fabricação mais sustentável e inclusivo, melhorando, assim, a qualidade de vida de todos.

Neste modelo de indústria, os trabalhadores poderão obter um desempenho melhor, realizando serviços mais leves, pois não estarão diretamente envolvidos em toda a jornada industrial. Para as empresas, o maior impacto estará na redução de custos e de resíduos e em processos de fabricação mais rápidos.

Para a iniciativa pública, o maior impacto será no aumento do investimento em educação para qualificar a mão de obra. Já os consumidores enxergam nas empresas uma maior capacidade para resolver necessidades específicas, com soluções mais rápidas e baratas e um nível mais alto de qualidade dos produtos.

A Indústria 5.0 será a arena onde a inteligência humana se colocará na vanguarda dos processos. A combinação de homem e máquina reúne a precisão da automação industrial completa com as habilidades críticas e cognitivas dos principais líderes empresariais e vem para revolucionar mais uma vez o mundo das Pequenas e Médias Empresas.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, como vai?